SAUL BARBOSA ESTÁ EM TODO CANTO DA BAHIA

IPerfil

Saul Barbosa, um dos mais notáveis compositores baianos e expoente da música, já nasceu com um quê de especial. A começar pelo próprio nome, cujo significado é “solicitado”. E isso foi o que mais aconteceu com Saul em vida. Sempre fora solicitado pelo elenco da área musical brasileira: Maria Bethânia, Durval Lelys, Daniela Mercury, Margareth Menezes, Netinho, Elba Ramalho, Márcia Short, Ivete Sangalo, Gerônimo, dentre outros artistas renomados. E se “todo menino do Pelô sabe tocar tambor”, todo músico que se preze sabe tocar Saul. O baiano, nascido em Ilhéus, é considerado um compositor singular dentro do pulsante mercado de música da Bahia. Ele conseguiu fazer um retrato fiel do estado em suas canções. Falou do menino que anda batucando pelas ruas do Pelô, do sincretismo religioso, da natureza esplendorosa e da alegria do povo baiano.


Em sua caminhada, Saul Barbosa teve vários parceiros. Dividiu composições com Gerônimo, Jaime Sodré, Jorge Portugal, Vevé Calazans, J. Velloso e Augusto Jatobá, só para citar alguns nomes. Saul bebeu na fonte da tropicália e da bossa nova, mas também “jogou água” (uma de suas músicas chama-se “Joga água”) em muitos artistas, que beberam e fizeram sua nascente permanecer sempre viva. E Fonte é o nome de uma de suas mais lindas canções. Parceria dele e de Gerônimo, gravada por Maria Bethânia no CD Tua, de 2009, a música traz os versos “Quem ama de verdade/Tem o dom da criação”. Pode não ter sido o propósito, mas esses versos soam autobiográficos. Saul foi um homem que amou a música e, como resultado disso, criou verdadeiras odes à Bahia, aos baianos e ao Brasil. Amou tanto que não se contentou em ser só criador, quis ser criatura e lançou o disco Bahia, Cidade Aberta, em 1995, eleito pelos críticos como um dos melhores do ano. Nele, Saul reuniu cantores expressivos da Música Popular Brasileira, como Luiz Melodia, Caetano Veloso, Gilberto Gil e Lazzo.


No dia 15 de setembro de 2010, o compositor deixou uma lacuna no cenário artístico e cultural da música brasileira. Saul morreu, mas a sua obra está presente em todos os cantos da Bahia. O legado dele permanecerá vivo para sempre: em cada nota, em cada tom, em cada verso.


# Este texto foi um dos cinco selecionados no concurso cultural "Faça parte da Comunicação do Festival de Verão", promovido pela Via Press Comunicação e do qual Raulino Júnior foi um dos vencedores.

Postar um comentário

8 Comentários

  1. lindo texto, rauli! nao sabia que voce tinha sido selecionado!!! que massa, parabens!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Eduardo Coutinho. Fui! Desculpe a imensa demora em responder. Não fui notificado na época! Kkkkkkkk!

      Excluir
  2. Merecido! Parabéns Rau.
    E Rau, logo estará em todo canto da Bahia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, minha querida Val! Desculpe a imensa demora em responder. Não fui notificado na época! Kkkkkkkk!

      Excluir
  3. Parabééns Rauli...
    Desculpa o atraso mas fiquei muito feliz pelo resultado positivo desse seu produtivo texto.
    Sucesso nesta estrada trilhada com criatividade e competência.

    Orgulho de ti.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Leandro Souza. Desculpe a imensa demora em responder. Não fui notificado na época! Kkkkkkkk!

      Excluir
  4. Sim! Como o colega falou, vc tb estará em todo canto da Bahia! Muito orgulho de vc! =)

    Texto maravilhoso!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Será?! Sei não... Obrigado! Desculpe a imensa demora em responder. Não fui notificado na época! Kkkkkkkk!

      Excluir